Como venci a obesidade, hipertensão e pré-diabetes, perdendo 20 kg em 2 meses

O início: o susto na faculdade…

Era fevereiro de 2014 (há mais de 3 anos). Dois andares de escada já estavam fazendo meu coração bater na garganta. Bem pesado, meu joelho sentia até uma caminhada leve. Eu mal conseguia brincar com meus dois filhos pequenos, mas ainda não tinha acordado… Precisei de um susto pra reagir.

Um dia normal de trabalho, após subir os 2 andares de escada até a sala de aula, lentamente, carregando um datashow, comecei a me sentir muito mal. Sem fôlego, pontadas na cabeça e palpitações que ainda não tinha experimentado. Alunos me ofereceram água e chamaram (sem eu perceber) o atendimento emergencial da faculdade, que constatou minha pressão arterial extremamente elevada. Disseram que eu poderia ter tido um AVC. Nem consegui dar aula e dispensei a turma. Neste dia, eu ACORDEI. Contei o episódio pra minha esposa e marcamos com um cardiologista.

O Cardiologista…

Obeso, de uma família de obesos, com 115 kg, e hipertenso aos 36 anos… foi meu diagnóstico depois de 24 horas com um monitor de pressão. No sangue, alto valor de glicemia e triglicérides (eu não sabia, mas estava com resistência à insulina, a pré-diabetes). Resultado de uma vida seguindo a bizarra pirâmide alimentar (e colocando a culpa injustamente nos churrascos no finais de semana).

O médico, então,  me receitou um remédio para pressão, que eu deveria tomar eternamente. Mas me deu uma alternativa em forma de esperança antes de começar a tomar o medicamento: tentar perder pelo menos 10 kg (seguindo as recomendações de sempre – veja na seção abaixo) e repetir os exames em 3 meses, pra ver como meu corpo reagiria com menos gordura visceral (a gordura interna da barriga, a mais perigosa). Nessa hora, pensar nos meus 2 filhos pequenos me dava motivação para reagir, por mais depressivo que fosse fazer dieta, pra mim. Veja uma foto minha na época (ocupando a metade da imagem):

115 kg e suando sem motivo
115 kg e suando sem motivo

As dietas que eu já tinha feito…

Não sei dizer a quantidade de dietas que eu já tinha feito antes. Mas sei os pontos em comum. Em todas elas:

  • Eu contava e focava nas calorias.
  • Eu comia em curtos intervalos (de 3 em 3 horas).
  • Eu cortava gorduras e escolhia carnes brancas e magras.
  • Comia grãos e massas integrais.
  • Corria na esteira para queimar calorias.
  • Reduzia o açúcar o máximo que eu podia.

Todas elas me davam depressão! Claro… eu passava vontade de tudo que é gostoso. Eu tinha que ter uma força de vontade brutal pra conseguir levar a dieta por um mês… Imagine 3 meses para perder os 10 kg que precisava. Sempre que fazia, perdia algum peso… e depois de um tempo… o efeito sanfona: meu peso voltava com juros e correções.

Uma coisa me intrigava: Quanto mais a mídia e a indústria do emagrecimento recomendavam e criavam produtos baseados em dietas assim, a cada ano a taxas obesidade, sobrepeso e diabetes batiam (e batem) novos recordes. Mais tarde a verdadeira ciência me mostraria que, exceto o último ponto da lista acima, todos os outros não ajudam em nada (e outros atrapalham muito). E esse é o motivo de dietas não funcionarem. (Entenda melhor com esta apresentação sobre o programa de emagrecimento do Rodrigo Polesso).

Um post inesperado no facebook…

Já intrigado, me deparei no facebook, com a foto de um ex-aluno meu, recém-formado: o Jessé, que era bem gordinho. Fiquei espantado! O garoto tinha secado! Bem magro mesmo… era outro! Comentei na foto e ele, bem humorado, me disse:

Professor, esqueça esse negócio de contar e queimar calorias e de comer de 3 em 3 horas. Se preocupe com os carboidratos e perca o medo das gorduras naturais (mesmo as saturadas). Isso funciona, é saudável e você não precisa se privar das comidas mais saborosas que existem. Veja os artigos que te enviei provando tudo isso.

Minha reação inicial foi a de total desconfiança! Mas, como o Jessé sempre foi um aluno extraordinário, resolvi pesquisar. E surgiu uma nova esperança: se eu não precisasse comer aquela comida de dieta, sem graça, e não arriscasse minha saúde, eu poderia manter a dieta sem sacrifício e pelo tempo que quisesse. E fazia sentido, pois insanidade é esperar um resultado diferente, fazendo as mesmas coisas de sempre. (Este programa Código EDV permite exatamente isso)

Minhas conclusões: low carb + jejum intermitente…

Pesquisando, estudei inúmeros artigos científicos. Desde os tempos de mestrado, tenho bastante prática em separar artigos com metodologia relevante dos demais). Li trabalhos incríveis e então me convenci plenamente de que tudo aquilo, sem dúvidas, melhoraria meus riscos cardíacos, mesmo com as gorduras naturais (a gordura da picanha e do bacon – artesanal – são gorduras naturais 😯 ), que seriam importantes no processo. Alguns hábitos que mudei:

  • No café da manhã, troquei o pão pelo omelete (no início – depois isso deixou de fazer sentido, dependendo de como faço jejuns intermitentes);
  • Parei de me preocupar com vários tipos de gorduras que eu achava que me infartariam. O vilão virou aliado e a comida sem graça deu lugar à comida de verdade, com graça e gosto;
  • Parei de comer lanchinhos industrializados de 3 em 3 horas… mesmo por que eu não tinha a menor vontade ou fome pra isso;
  • Comecei, sem perceber, a praticar o  jejum intermitente… e depois vi que era a abordagem mais poderosa e saudável possível para se perder peso, se feito conscientemente e associado à low carb (e a Rede Globo não vai te falar isso).
  • Parei de contar calorias ou porções. Comia à vontade, os alimentos certos, até ficar satisfeito;
  • Parei as atividades físicas (por falta de tempo), e mesmo assim continuei emagrecendo;
    • (RECOMENDADO) -> O programa de emagrecimento Código Emagrecer de Vez é estruturado com low carb, Jejum Intermitente e densidade nutricional. É seguro, eficiente e boa opção para quem não tem muito tempo ou paciência para estudar e montar sua própria estratégia, receita, cardápios.

Finalmente, o resultado veio rápido (e definitivo) …

Esta nova abordagem para emagrecer me trouxe os resultados que você pode ver nas fotos abaixo:

marcio-progresso

No início, eu perdia em média 4 kg por semana e isso me estimulava e empolgava muito! No primeiro mês, foram quase 15 kg a menos. No segundo mês, 5 kg. Depois, ainda fui perdendo peso (Total de 25 kg perdidos). Não ganhei peso novamente e já se passaram 3 anos. Com comida de verdade e gostosa, a história mudou. Se você não tem tempo ou paciência para estudar nutrientes e bolar suas estratégias e cardápios, leia até o final do artigo (onde indico uma solução pronta e flexível).

O mais incrível: a dieta e a perda da minha gordura visceral reverteram a minha hipertensão e meus exames de sangue para os níveis normais em menos de 3 meses! Sim… os 30 anos comendo errado praticamente me inflamaram por dentro… e assim eu fui curado e libertado! Eu realmente nem me lembro do nome do remédio de pressão arterial que o médico tinha receitado. Correr novamente com meus filhos não têm preço! (Só que hoje eles ganham de mim por méritos próprios! 😀 ).

Eu só transformei minha vida pela sorte do meu facebook trazer uma postagem de um ex-aluno em quem eu confiava e ter passado muito mal naquele dia de aula. Senão eu entraria novamente nas “recomendações oficiais”, teria continuado no efeito sanfona e hoje, no melhor caso, estaria apenas mais gordo. Provável que eu já teria tido algo mais grave.

De charlatões e aproveitadores, essa área de emagrecimento já está ridiculamente infestada. Mas a verdade nutricional é científica e não têm duas caras. A confusão na mídia fácil de explicar: muita gente enche o bolso de dinheiro com cada pessoa que cresce acreditando que o caminho para emagrecer é aquela dieta cortando gordura, é o industrializado light, o remédio milagroso, trocar refeição por shake e outras bizarrices. É triste, mas ajuda a explicar a explosão da obesidade e diabetes nos últimos anos.

Se quer seguir um programa de emagrecimento baseado nesta estratégia, recomendo este Código (clique aqui).

Como você pode começar…

Depois de passar por tudo isso, não parei mais de estudar artigos da área, criei este blog para evitar que pessoas passem pelo que passei ou entrem em estratégias furadas, antigas ou insustentáveis em longo prazo. Hoje, O Saúde Primal recebe milhares de visitas diárias e é muito gratificante ler cada e-mail que recebo com os depoimentos de pessoas que transformaram suas vidas. É o combustível deste blog.

É ótimo saber que você está ativamente pesquisando e avaliando novos caminhos! Sem dúvidas, isso te coloca junto a uma minoria de pessoas que têm todas as condições pra reagir e mudar a sua própria vida. Tenha orgulho e confiança por isso! A grande maioria prefere continuar arrastando a vida como pode, ou prefere esperar por um susto (como fiz) ou até que um médico cirurgião lhe tire um pedaço do estômago (como quase já fiz). É a sua vida! É a sua felicidade! Ninguém pode fazer isso a não ser você mesmo. O caminho é este mesmo… estudar nas boas fontes, tirar suas próprias conclusões e montar sua estratégia. Caso não tenha tempo e queira algo pronto, recomendo (fortemente) que comece por esta apresentação abaixo, clicando no link ou na imagem:

CodigoEDVDiagramaCTA

Espero, sinceramente, que aproveite bem este texto e viva de maneira plena!

Saúde! (e atitude!)

Um abraço!
Márcio Balian