Como engordar 20kg em 5 anos (e emagrecer 25kg em 3 meses) …

Muita gente que acumula peso ao longo dos anos costuma colocar a culpa em si mesmo, se sentindo mal pela falta de força de vontade. Será que é justo? Vou contar a minha história (é rápido, vou resumir! :D):

Eu, com 5 anos de casamento, saí de 95 para 115 kg. Engordei 20 kg. Isso dá uma média de 4 kg por ano. Ou seja, 1 kg a cada 3 meses! Impressionante é que eu engordei sem sentir, de forma silenciosa e sorrateira. A esposa não reclamava, dizia que estava legal, mais “fofo”… e os anos foram acumulando a gordura no corpo. E eu estaria achando tudo normal, se meu corpo não tivesse dado o “grito”: Dores no joelho, palpitações e uma hipertensão severa aos 35 anos de idade (e dois filhos pequenos pra criar) me deram motivos pra reagir. Pelas minhas contas, se não fosse essa reação, hoje, mantendo o estilo de vida, eu estaria com uns 155kg!! (Tenho 1,84 de altura). E quanta gente não passa por isso! Nas mães, depois do parto, é ainda mais comum.

Como foi que eu engordei?

Meu dia a dia era muito comum: eu não fugia muito daquilo que é recomendado oficialmente. Quero que comece dando uma olhada na montagem que fiz abaixo, que tenta dar uma ideia de como eu me alimentava no dia a dia (na época):
 Café da manhã (era quase sagrado!) com leite desnatado, margarina ou requeijão light (com redução de gordura) e pão integral. Sucos naturais sem adicionar açúcar, bolachas e barrinhas de cereais nos lanches. Grãos (arroz, feijão) dominando as refeições principais. Peito de frango ou outra carne (mais magra e branca possível). Muitas vezes eu ainda incluía umas folhas e tomates.
Enfim, eu engordava e colocava achava que a culpa era das sobremesas, do churrasco e da cervejinha dos finais de semana. (Hoje sei que o que engorda é a rotina, e não os eventos sociais).

E por que eu engordei?

Eu (e mais da metade do nosso país) cheguei ao sobrepeso e obesidade devido, principalmente, aos picos constantes de glicemia e insulina, por um simples motivo: a pirâmide alimentar não tem fundamentação científica alguma. Isso me levou também a um estado conhecido como pré-diabetes.
No período que fui obeso, eu tentei por várias vezes me controlar mais, evitar gordura, açúcar, contar calorias que comia e correr na esteira… uma força de vontade até acima da média. Mas hoje, concluo que foram esforço e energia completamente desperdiçados por seguir recomendações de emagrecimento e saúde completamente equivocadas e anticientíficas. Elas só favorecem à própria indústria do emagrecimento, e enchem as clínicas, hospitais e os bolsos dos grupos farmacêutico$.
Veja só: A CULPA de ter engordado (ou não emagrecer) não é da falta de vontade ou de foco! O gráfico abaixo resume o que acontece com a maioria das pessoas que comem de 3 em 3 horas seguindo as recomendações “oficiais”, que priorizam os carboidratos (a maioria refinados e processados) na base da pirâmide alimentar:
fonte: Márcio Balian – SaúdePrimal

Cargas de glicose altas e constantes, completamente além daquilo que fomos “projetados” para assimilar, geram os chamados “picos de insulina” no sangue. A presença deste hormônio, especialista em retirar o açúcar (glicose) do sangue, praticamente bloqueia a queima de gordura e promove o estoque do açúcar na forma de gordura corporal. Este pico de insulina provoca uma reação no organismo, numa espécie de efeito rebote (pois os níveis de açúcar do sangue caem rapidamente): estimula a fome, principalmente a compulsão por mais alimentos doces ou cheios de carboidratos.

  • A substituição das massas, pães e grãos pelos integrais não melhora a situação, pois a descarga de glicose no sangue é praticamente a mesma. Os índices de glicose nesses alimentos são praticamente os mesmos, como já demonstrei aqui no blog em vários momentos.

E como emagreci 20 kg em apenas 2 meses?

Depois de me libertar dessas recomendações furadas, percebi que deveria reduzir drasticamente os carboidratos (principalmente os processados) da minha dieta. Saber disso é o começo, mas ainda está longe de resolver! Por exemplo: colocar o que no lugar dos carboidratos? Praticamente tudo que eu comia era cheio de carboidratos.

Foi quando testei muita coisa em mim mesmo. Antes devorei estudos e artigos de alta qualidade e verdadeiramente científicos, todos com metodologia forte, à prova de interesses financeiros obscuros, que frequentemente coloco aqui no blog. Apliquei tudo em mim mesmo e isso me fazia perder até 5 kg em uma só semana. Eliminei 20 kg em apenas dois meses. Perdi um total de 25 kg e mantenho o peso até hoje, quase 3 anos depois. Abaixo uma foto minha na época e uma mais recente:

Foi uma mudança completa e a única maneira que conheci até hoje para perder peso sem fome, ansiedade e sofrimento, por dois motivos:

  1. Por ser baseada em alimentos saborosos e nada parecidos com aquela comida de passarinho light que eu comia no tempo em que engordei ou nas dietas que já tentei antes). E o melhor é que, sem picos de insulina, tenho liberdade de escolher o que e quando comer, pois não tenho mais compulsões e fomes fora de hora). Isso não significa que perdi o prazer pela comida! (Muito pelo contrário).
  2. Por emagrecer rapidamente nas primeiras semanas, me deixando motivado ao extremo a continuar focado.

Faz quase 3 anos que mantenho este estilo de vida e alimentação, mantendo meu convívio social, minha cerveja nos finais de semana e comendo “porcarias” nas festinhas infantis, por exemplo. A minha gordura visceral (interna, na região abdominal), foi a primeira a ser queimada neste tipo de alimentação e com isso, minha pressão arterial normalizou. Os exames de sangue todos voltaram aos padrões normais, mesmo consumindo gorduras (naturais). Hoje, com 90kg (meu peso-alvo), a obesidade, pré-diabetes e a hipertensão foram curadas.

Alguns mitos tiveram que ser quebrados:

  • Gorduras naturais são muito importantes na dieta, mas as pessoas têm medo de falar isso.
  • Contar calorias ou porções é inútil para emagrecer. Ex: 1000 calorias de pão integral (que se transforma em açúcar no sangue) tem efeito totalmente diferente de 1000 calorias de bacon ou 1000 calorias de tomates no nosso corpo. Isso é fundamental! Você pôde perceber isso com a explicação dos picos da insulina acima.
  • Academia sem dieta praticamente não tem efeito.
  • Óleos vegetais industrializados não devem ser consumidos (As gorduras naturais devem substituí-los).
  • Comer de 3 em 3 horas não é saudável e não tem respaldo na ciência.
    • E por mais que haja “pesquisas” (entre aspas mesmo) contrárias a esses pontos polêmicos, verá que são, no máximo, estudos observacionais, que não provam causa e consequência.
    • Para cada um desses pontos polêmicos (e outros que não citei aqui), há estudos prospectivos, randomizados e revisados aos pares que provam – sem margem para equívocos – cada um deles.

Como você pode aproveitar essas informações…

Por anos eu tentei resultados diferentes fazendo as mesmas coisas de sempre. Claro que foi tudo em vão. Mas era a minha vida e meus filhos dependiam de mim. Então, eu investi e acreditei em um caminho diferente. Este caminho pelo qual percorri exigiu muita leitura e, principalmente, seleção de estudos científicos, geralmente em língua inglesa, com metodologia científica relevante (habilidade que adquiri nos tempos de mestrado) em meio à infinidade de estudos sem qualidade e tendenciosos. Os resultados impressionantes, bem como os absurdos que vejo por aí (sempre com falsas promessas), me fizeram ter como missão difundir este estilo de vida.

Os artigos que escrevo aqui e os estudos que aponto neles ajudam bem no entendimento sobre alimentos, nutrientes, hábitos e estratégias, para que você mesmo possa montar um plano de recuperação efetivo pra você. Só você pode mudar a sua vida! O importante é não desperdiçar a energia e a força de vontade que certamente você possui, mas que dificilmente superaria estratégias erradas, tendenciosas e que não geram nada além de restrições e sofrimento. O simples fato de você estar lendo este artigo até aqui te coloca junto a uma minoria absoluta de pessoas que possuem poder de reação.

Há também pessoas sem tempo para estudar e montar suas estratégias. Estas pessoas (e as demais), hoje, já podem optar por um programa passo a passo já estruturado, que aplica todos estes princípios, facilitando bastante para quem quer começar de imediato:

Espero, sinceramente, que aproveite as informações deste artigo em favor da sua saúde, bem estar e auto-estima! Um forte abraço!

Márcio Balian
Fundador e Editor do saudeprimal